Boletim Setembro – A crise e o Amor

Distanciamento, isolamento, quarentena, álcool em gel, máscaras. Palavras e produtos que têm sido constantes em nossas vidas há alguns meses. Como é difícil não podermos abraçar um amigo, visitar um familiar, oferecer apoio, ser o ombro amigo. A falta da presença física deixa tudo tão estranho, não é?

Li estes dias um plano devocional que me trouxe aquele quentinho no coração. Vou compartilhar aqui. Este plano me lembrou muito do nosso trabalho na Associação Evangélica Beneficente David Rowe, de sermos veículo do amor de Deus em nossos trabalhos e ações com os hóspedes da Casa de Apoio. O devocional chama-se “Comunicando o Amor Em Tempos de Crise”, da Sociedade Bíblica do Brasil disponível no aplicativo da YouVersion.

Em tempos de crise, costumamos deixar de lado alguns laços — e fortalecemos outros. Geralmente, a família passa a ser a prioridade, e aqueles que não são tão próximos ficam para depois.

Mas esse “amor seletivo” é o que Deus realmente espera de nós?

Que amor é esse que exclui em vez de incluir? Que restringe em vez de abranger?

Seria esse o nosso tipo de amor?

A Palavra de Deus, em 1João 4.7, diz assim: “Queridos amigos, amemos uns aos outros porque o amor vem de Deus.”

O amor que vem de Deus é especial, é diferente. O amor que vem de Deus é perfeito em essência e é maior que qualquer outro sentimento. Como podemos ver no final da Primeira Carta de Paulo aos Coríntios, no capítulo 13, versículo 13: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior deles é o amor.”

Em tempos difíceis, o medo e a ansiedade querem tomar o lugar da fé e da esperança em nosso coração. Corremos o risco de entrar em desespero em meio a tantas incertezas. Mas o amor de Deus nos mantém firmes. É o amor de Deus que fortalece a nossa fé e traz esperança. 

Você pode perguntar: “Porque esse amor é tão especial?”

Vamos olhar novamente para a Palavra de Deus. Em 1João 4.9-10 está escrito: “Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós: ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio dele. E o amor é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados.”

Jesus é a prova do amor de Deus por nós. Com ele, o nosso medo se transforma em fé, e a nossa ansiedade, em esperança de tempos melhores. Com Jesus, as dúvidas e incertezas não têm mais tanta importância dentro de nós. A certeza do amor de Deus enche o nosso coração de paz e nos permite olhar para frente, erguer a cabeça e continuar. Em 1João 4.18, temos essa confirmação: “No amor não há medo; o amor que é totalmente verdadeiro afasta o medo.”

Esse amor não depende de nós. Deus nos ama pela graça e, por isso, recebemos dele a capacidade de amar os outros. “Nós amamos porque Deus nos amou primeiro” (1João 4.19).

Você ama porque Deus o amou primeiro, por meio de Jesus, que é o perfeito amor de Deus.

Se Deus nos ama, mesmo a nós, imperfeitos e pecadores, não temos desculpas para não espalhar este amor. “Se foi assim que Deus nos amou, então nós devemos nos amar uns aos outros” (1João 4.11).

Não há crise que supere o amor de Deus por nós. Não há pandemia que seja capaz de nos afastar da certeza e da esperança de tempos melhores. Acredite: com Jesus é possível.”

Para mais informações da  Sociedade Bíblica do Brasil, acesse: https://www.sbb.org.br/apoieacausadabiblia

Generosidades :

Espero que fale ao seu coração como falou ao meu.

Vivianne Delgado – Diretora de Relações Públicas

LEIA EM PDF

Doações
CNPJ: 04.111.197/0001-97

Itaú Ag 8545 c/c 00791-9
Bradesco Ag 2297-7 c/c 104.898-8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *